Notícias:
latest

BOLSONARO TRAVA BOLSA FAMÍLIA EM CIDADES POBRES FILA CHEGA A 1 MILHÃO | É COISA VIU

Foto: Jefferson Peixoto/Secom




O governo de Jair Bolsonaro (sem partido) congelou o Bolsa Família mesmo nas regiões mais carentes do Brasil. Reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta segunda-feira (10) revela que um a cada três cidades mais pobres do país não teve novos auxílios liberados nos últimos cinco meses com dados oficiais divulgados (junho a outubro de 2019).
Segundo a publicação, cerca de 1 milhão de famílias aguardavam, em janeiro, uma resposta do Ministério da Cidadania para ingressarem no programa de proteção social e transferência de renda aos mais pobres.
O levantamento considera os 200 municípios de menor renda per capita do Brasil, apontados pelo IBGE em 2017. Em todos, houve recuo na cobertura e um ritmo de atendimento a novas famílias muito menor que em períodos anteriores.
Desde o ano passado, por falta de dinheiro, o governo passou a controlar a entrada de beneficiários no Bolsa Família. Com a barreira em todo o país, a fila de espera, que havia sido extinta em julho de 2017, voltou e não há previsão para ser novamente zerada.
Reconhecido internacionalmente, o programa atende famílias com filhos de 0 a 17 anos e que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178 por mês. O benefício médio é de R$ 191.
Sob Bolsonaro, o Bolsa Família enfrenta o período mais longo de baixo índice de entrada de novos beneficiários da história do programa.
Isso também ocorre nos municípios mais pobres. Entre janeiro de 2018 e maio do ano passado, 26 famílias passavam a ser atendidas por mês no grupo de 200 cidades brasileiras com menor renda per capita. Os dados mais recentes apontam que a média mensal recuou para cinco famílias.
Dessas 200 cidades, 37 tiveram apenas um novo benefício liberado de junho a outubro e, em 64 desses municípios, houve bloqueio total do programa de junho a outubro.
Procurado, o Ministério da Cidadania não quis comentar a reportagem.

FONTE:BAHIA.BA
« Voltar
Próximo »

Nenhum comentário