O pré-candidato a vereador Jeferson Andrade (PT), conhecido como Jefinho, acusou o prefeito do município de Milagres, distante 240 km de Salvador, Cézar de Adério (PP), de ameaçar e tentar matar ele e a sua esposa, identificada como Jerusa. O caso aconteceu no último sábado (25/7) e imagens que supostamente comprovariam a ação do gestor circulam nas redes sociais. 
No vídeo, publicado por Jeferson, é possível ouvir um homem dizer que "vai arrancar a cabeça dele" e as súplicas da mulher questionando se o rapaz realmente vai fazer isso. "Você vai me matar seu prefeito? O senhor me respeite!", diz a mulher. Logo após a discussão, ela começa a gritar por socorro. Neste momento, é possível ouvir um disparo de arma de fogo. Segundo Jefinho, a voz da pessoa que discute com sua esposa é a do prefeito, enquanto o tiro teria partido de um dos seguranças dele.

Em conversa com o Aratu On, o candidato contou que estava na sala de casa com a mulher quando ouviu um barulho de bomba. "Saí na porta e vi dois carros, um do vice-prefeito e outro do secretário de seguramça. Eles soltaram as bombas e saíram em direção à casa do prefeito [moramos na mesma rua, uns 300m de distância entre as casas].", contou. Jefinho disse que a mulher foi ver o que estava acontecendo, quando reconheceu o prefeito em um dos carros: "corri para o muro e filmei toda a cena", relatou.
O pré-candidato acredita que Cézar estava sob efeito de drogas. "Ele ficou me chamando de vagabundo, de viadinho, chamando a minha esposa de vagabunda e foi aí que começou a discussão", falou. Jefinho disse que o prefeito desceu da caminhonete para bater em Jerusa e ela correu. Foi então que um dos seguranças teria disparado contra ela. "Ela correu e eles atiraram", contou. Questionado sobre o que teria motivado essa atitude, ele disse que se trata de uma briga política. "Cobro e fiscalizo coisas que ele [o prefeito] prometeu e não fez, deixando a desejar, mas tudo dentro da lei."
Jeferson afirma que o prefeito já o ameaçou algumas vezes. "Essa é a quarta vez que esse cidadão arma pra mim. Já recebi ameaças de morte, tem queixa no Ministério Público... tem um ano que completou o primeiro B.O prestado", informou. O Aratu On procurou o gestor municipal, mas a assessria da prefeitura disse que não vai comentar o assunto. A Polícia Civil afirmou que "não foi localizado nenhum registro, mas as equipes da 12ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Milagres) estão apurando as informações.