Uma discussão de família deixou morto um taxista de 58 anos, identificado como Elson Reis do Nascimento. O caso aconteceu no bairro Rio Vermelho, em Salvador. O boletim da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) relata que o crime foi registrado na sexta-feira (29/1).

O filho da vítima, Emanuel de Jesus Nascimento, relatou ao Aratu On que o taxista foi assassinado a pauladas após ao defender a companheira de agressões verbais decorrentes de uma herança que a mulher recebeu. Os dois tinham mais de 25 anos de relação. 

Os desentendimentos entre a companheira do taxista e os familiares dela eram constantes. A mulher compartilhava um terreno situado na Rua Belmonte com outros membros da família e o bate-boca era rotineiro até que, na última terça-feira (26/1), ela foi hostilizada por um cunhado e Elson interveio. 

"O cunhado chamou ela de demônio e meu pai não gostou. Pediu para ele se respeitar e teve um bate-boca entre eles dois. O homem puxou um facão para ameaçar meu pai que, por sua vez, para se defender, pegou uma arma de brinquedo. Depois disso cada um foi para seu canto. Um filho desse homem estava assistindo tudo e disse que ia descer pra se 'acertar' com o meu pai e acabou não indo, naquele momento", narrou o filho da vítima.

Nascimento relata que o taxista chegou a procurar uma delegacia para prestar queixa e apresentar o brinquedo utilizado para intimidar o suspeito. Na noite de sexta, Elson foi surpreendido com diversos golpes de madeira, desferidos pelo sobrinho da companheira. Ele chegou a ser socorrido para uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos.

"Ela [companheira] só me contou o que aconteceu na manhã do sábado, depois que meu pai já estava morto. Isso que eu não entendo", finalizou. Elson deixa três filhos e caso está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico). Familiares ainda serão ouvidos no Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), segundo a Polícia Civil.