Uma dentista, Ana Luiza Souto Dompsin, de 25 anos, foi encontrada morta com um tiro na nuca dentro da própria casa no município de Divisa Alegre, entre a Bahia e Minas Gerais. O caso aconteceu no final da noite de segunda-feira (22/3) e está sendo apurado pela Polícia Civil. Há duas versões para o caso: suicídio ou feminicídio - tese levantada pela família da vítima. O suspeito apontado é o namorado dela, um oficial da Polícia Militar da Bahia. 

Segundo a PM mineira, guarnições foram acionadas após receberem informações de que havia uma mulher baleada dentro de um imóvel. No local, encontraram a dentista já sem vida. O namorado, que foi encaminhado à delegacia, relatou que estava sentado na cama quando ouviu um disparo de arma de fogo deflagrado pela jovem contra a própria cabeça. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamado, mas Ana não resistiu. 

A irmã da dentista, Andréa Dompsin, escreveu nas redes sociais que não acredita em suicício. "O assassino está preso, mas alega que foi suicídio. O laudo do IML [Instituto Médico Legal] não constatou vestígios de pólvora nas mãos dela e ninguém consegue se matar com tiro na própria nuca! Lutamos para que o assassino continue preso e que se faça Justiça". O companheiro da jovem é um tenente, lotado na 80ª Companhia Independente (CIPM/Cândido Sales).

Andréa descreveu a menina como "uma moça doce, alegre, dentista apaixonada pela profissão, cheia de vida e com um futuro brilhante pela frente". Ana Luiza trabalhava no município de Divisa Alegre, que decretou luto oficial de três dias. Ela estudava no município baiano de Vitória da Conquista. 

A reportagem do Aratu On tentou contato com a delegada que está à frente das investigações, Maria Aparecida Mota Martins, mas não obteve resposta até a finalização desta matéria. Por meio de nota, a PM da Bahia confirmou que o oficial foi ouvido e liberado. Segundo a corporação, os namorados estavam no mesmo quarto quando o fato aconteceu. Ainda de acordo com a Polícia Militar, a arma do tenente foi recolhida e vai passar por perícia.