Notícias:
latest

FATALIDADE! CRIANÇA MORRE APÓS FICAR 18 HORAS PRESA EM BURACO DE 8 METROS | É COISA VIU

 

O menino Pedro Augusto Ferreira Alves, de 8 anos, resgatado 18 horas após cair em um buraco, em Carmo do Paranaíba, Minas Gerais, não resistiu aos traumas da queda e morreu logo após o resgate. Segundo a prefeitura do município, que fica no Triângulo Mineiro, a criança estava com baixo nível de consciência quando foi retirada do buraco e chegou a receber os primeiros socorros ainda na ambulância que a levaria ao Hospital Regional de Patos de Minas.

De acordo com a equipe médica, a suspeita é de que a criança sofreu uma parada cardiorrespiratória e não se recuperou. No hospital, foi constatado o óbito. O menino lutava pela vida desde que caiu no buraco, às 16h de domingo (21/8). Ele brincava no canteiro de obras de um loteamento quando pisou na folha de lata que cobria o buraco e caiu. O poço, com cerca de oito metros de profundidade e apenas 40 cm de diâmetro, fora aberto em área aterrada, o que dificultou os trabalhos de resgate.

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais mobilizou mais de 20 homens para a operação de salvamento, que atravessou a noite. Para chegar ao ponto onde estava o menino, foi preciso cavar manualmente outro buraco paralelo. A operação só terminou por volta das 10h desta segunda-feira (22). A mãe, outros familiares da criança e curiosos passaram a noite acompanhando o resgate. A área precisou ser isolada.

Uma das primeiras tentativas foi lançar uma corda para que o menino amarrasse à cintura e pudesse ser içado. Com a criança muito assustada e a falta de espaço no buraco, não foi possível concluir a amarração com segurança. Como o terreno foi aterrado há pouco tempo, o solo estava instável, dificultando a operação de resgate. Os bombeiros optaram por proteger as encostas da cratera com técnicas de escoramento para evitar um eventual desabamento. Em seguida, teve início a escavação manual de um buraco ao lado daquele ocupado pela criança para tentar facilitar a operação.       

« Voltar
Próximo »

Nenhum comentário